Início

VÍDEO PRO E
BROADCAST

ÁUDIO PARA ENG
E PRODUÇÃO

ILHAS DE EDIÇÃO
E SERVIDORES

Loudness é uma palavra inglesa que não tem tradução direta para o português e pode ser entendida como a percepção humana a respeito de um volume sonoro. Historicamente, os métodos para se manter os níveis de áudio compatíveis entre programas consistiam no controle de duas características do sinal de áudio: o pico máximo (PPM) e o volume médio (RMS). Com o passar do tempo ficou evidente que esta metodologia não era mais suficiente.

Loudness em si é uma medida de intensidade de uma percepção subjetiva. Agora o controle dessa percepção dentro da emissora é uma questão complexa, razão pela qual o Brasil é um dos precursores na regulamentação do tema. Nenhum país tem uma legislação como a do Brasil. A lei ficou quase dez anos sem regulamentação, justamente por causa dessa dificuldade. Vendo que os Estados Unidos tinham feito a regulamentação deles, o Ministério Público achou que era a hora de estabelecê-la no país. Só que a maneira como fizeram a regulamentação aqui é mais complexa, e não há país onde as regras sejam tão rígidas.

O que se mede?

Segundo a norma EBU-R128, três informações caracterizam o nível sonoro de um programa:

  • Picos reais medidos em dBTP
  • Loudness médio medido em LKFS ou LUFS
  • Faixa de Loudness medida em LU (excursão ao longo do programa)

As medidas são simples de se fazer desde que se use equipamento ou software apropriados e o descumprimento da norma na entrega de programas para exibição deverá causar recusa na maioria das emissoras.

Como são medidas feitas com uma regra (BS-1770) bem clara publicada há anos e adotada na maioria dos países, os programas brasileiros poderão agora desfrutar de mercados internacionais sem sofrer adaptações.

Ao profissional de mixagem, mais do que limites, a norma traz clareza para as condições de exibição do seu produto. Com a segurança de que o volume do programa não será alterado na exibição como ocorre hoje, será possível explorar melhor as opções criativas na concepção sonora.

Os parâmetros de controle

O nível de áudio das mensagens publicitárias deverá ser ajustado com medidores de loudness em conformidade com a recomendação EBU R-128-2011.

  • O Loudness Médio (Programme Loudness) deve ser ajustado em -23 LUFS, com tolerância de 0 LU para cima e 1 LU para baixo.
  • A Faixa de Loudness (Loudness Range – LRA) deve ser limitada a, no máximo, 8 LU.
  • O pico real máximo (True Peak Max) deve ser limitado a, no máximo, -3 dBTP.
  • O nível do tom de áudio de 1kHz do COLORBARS que antecede a claquete deve ser de -20dBFS nos 4 canais de áudio.

Como medir

Existem vários medidores disponíveis no mercado, tanto por hardware quanto por software e no formato de plug-ins para os principais softwares de edição. Em princípio, qualquer medidor que se adeque à recomendação EBU R 128 -2011 pode ser utilizado. Seguem alguns exemplos:

• TC Electronic LM6 (plug-in para Final Cut Pro, ProTools e outros softwares de edição, até 5.1) ou LM2 (apenas estéreo).

• Dolby Media Meter (software stand-alone)

• RTW TM3 (hardware, até 5.1, entrada analógica ou digital), TM7 (hardware, até 16 canais, entrada analógica ou digital), TM9 (hardware, até 16 canais, entrada analógica, digital ou SDI)

• Dolby LM100 (hardware, apenas estéreo – multicanal apenas se utilizando codecs Dolby, entrada analógica ou digital)

• R128GAIN (software open source)

Fonte: Comunicado TV GloboBlog TecsatRevista SETDOT

Novo CatDV Essential

Funciona de imediato. Fácil de implantar e configurar. Automações pré-configuradas e ajuda de nossa equipe de serviços garantem que você esteja funcionando e funcionando com sucesso. Vídeos e materiais de treinamento também estão incluídos. Adicione seus próprios campos, visualizações e painéis personalizados ao CatDV Essential.

À prova do futuro. É fácil atualizar para outras versões do CatDV: adicionando automações mais poderosas, dando suporte a equipes maiores, em diferentes locais, adicionando recursos de classe empresarial, manipulando milhões de ativos, estendendo recursos com APIs do CatDV, personalização de UX e UI, conectando-se a sistemas de segurança corporativa e Mais. As oportunidades são infinitas.

SquareBox apresenta CatDV 13

A Square Box Systems apresentou o CatDV 13, a versão mais recente do sistema líder de gerenciamento de ativos de mídia (MAM) da empresa. Com suporte inigualável para grandes instalações, o CatDV é adequado para criadores de conteúdo em qualquer organização que exija o uso de mídia (vídeo, áudio ou fotos) como parte de sua comunicação com os clientes. Oferecendo uma arquitetura de 64 bits, o CatDV economiza tempo, dinheiro e estresse na criação de conteúdo e em uma ampla variedade de outras tarefas de produção. A nova versão do CatDV 13 oferece a capacidade de criar associações pai e filho entre recursos de mídia e navegação simplificada para mídia de câmera complexa. O CatDV agora também possui um mecanismo de reprodução totalmente compatível com 64 bits com suporte nativo para uma ampla gama de formatos de transmissão e câmera para reprodução, decodificação e codificação. 

Sony apresenta novos produtos em unidade móvel na Church Tech Expo 2017

Com foco na produção de conteúdo, qualidade de captação e fluxo de trabalho, a Sony, fabricante de soluções para audiovisual, destaca suas soluções para produção de vídeo através de uma unidade móvel para produções ao vivo, além da linha de áudio UWP de microfones sem-fio e tecnologias para arquivamento de mídia durante a Church Tech Expo 2017 - 3º Feira Internacional de Tecnologia, Inovação, Infraestrutura e Soluções para Templos e Igrejas , que acontece de 6 a 8 de junho, em São Paulo.

Serviço Autorizado

Revenda Autorizada

RODE.pngDATAVIDEO.pngALHVA.pngATEK.pngKRAMER.pngBLACKMAGIC.pngSONY.pngCATDV.pnggenelec.pngAJA.pngROLAND.pngARRI.pngGRASSVALLEY.pngLINEPRO.pngEIMAGE.pngPANASONIC.pngZEISS.pngSACHTLER.png